Aqui compartilhamos conhecimentos e produzimos a nossa cultura.

Se você tem algo de bom a dizer clique em comentários e diga.



Comentários bons são sempre bem vindos.



Follow by Email

sábado, 27 de agosto de 2011

Fui ao quarto de badulaques do Rubem e encontrei isso...

Sugestão: Recebi dois e-mails que me deram grande alegria. Um deles, de uma mulher que me falava de sua mãe. O outro, também de uma mulher, falava-me sobre sua avó. A primeira me contava de sua mãe, já velha, como eu, que estava mergulhada numa profunda melancolia. Passava os seus dias com olhar perdido. Certamente pensava no fim que se aproximava. Nunca havia lido um único livro em toda a sua vida. Na tentativa de tirar sua mãe da depressão, começou a ler para ela alguns dos meus textos. Um milagre aconteceu. Ela ressuscitou. Começou a ler e agora não queria parar de ler. A outra me contou algo semelhante. Sua avó vivia a tristeza de duas perdas: a do marido e a da filha. A neta teve a mesma idéia: começou a ler para a sua avó. O mesmo milagre aconteceu. Agora não parava de ler. O que teria acontecido? Talvez eu, velho, tivesse colocado em palavras coisas que estavam nas suas almas. A grande tristeza da velhice é a solidão. Lembro-me de uma tola, tentando consolar um velho de 92 anos que só vivia de saudades. “É preciso esquecer o passado! É preciso olhar para frente!” Mas que “prá frente” existe na alma de um velho de 92 anos? Talvez uma coisa simples e barata que pode ser feita para os velhos é ler-lhes literatura, quem sabe, poesia? A literatura nos liberta da solidão. E traz alegria.

Fonte: http://www.rubemalves.com.br/quartodebadulaquesLXXIX.htm

Nenhum comentário: